Agende já uma avaliação completa!

Rua Ubaldino Amaral 40 - Centro

O desenvolvimento auditivo do seu filho

A audição é a principal porta sensorial para o adequado desenvolvimento da linguagem, fala, aspectos cognitivos e educacional. Os primeiros anos de vida da criança são críticos, pois é o período em que ocorre maior plasticidade neural, permitindo a maior absorção de todos os estímulos que recebem.

Acompanhe o desenvolvimento auditivo do seu filho:

▪️0 – 3 meses: Apresenta respostas primitivas( reflexos) á sons em alta intensidade, se acalma com a voz da mãe

▪️3 – 6meses : Tem atenção ao som e procura a fonte sonora, balbucia.

▪️6 – 9 meses: Localiza a fonte sonora lateralmente ( direita e esquerda), vocaliza em variação de entonação, tenta imitar sons.

▪️9 – 13 meses: reconhece comandos verbais simples “ da Tchau, Joga beijo! Bate palma!”, já pode dizer “mama” e “papa”

▪️13 – 16 meses: reconhece comandos verbais mais complexos: “ cadê a mamãe? Cadê a chupeta? Cadê o cabelo?” Fala duas ou três palavrinhas além de “papai” e” mamãe”.

Você escuta mais não entende?

O Processamento Auditivo central é a capacidade do nosso cérebro para detectar e interpretar o que ouvimos. O Sistema Auditivo Central tem habilidades auditivas( localização do som, identificar palavras na presença de um som competitivo, memorizar sons sequências etc) que se desenvolvem desde o nascimento. Algumas pessoas podem ter alteração nessas habilidades causando dificuldade na aprendizagem, desatenção, dificuldade em escutar em ambientes ruidosos, dificuldade na leitura.

Isso é chamado de Transtorno do Processamento Auditivo e pode ocorrer em qualquer idade e mesmo em pessoas que escutam bem.
Essas dificuldades podem ser revestidas com o treinamento adequado! ▪️QUEM DEVE FAZER O TESTE DE PROCESSAMENTO AUDITIVO?

Crianças à partir dos 6 anos de idade com as seguintes queixa:
– Dificuldade em diferenciar estímulos sonoros
– Que pedem para repetir o que foi falado ( Oquê? Hã?)
– Trocas de letras
– Dificuldade na leitura
– Falta de atenção
– Memória prejudicada
– Dificuldade em localizar o som
– Dificuldade em acompanhar conversas com mais de uma pessoa
– Demora para entender o que foi dito
– Adultos que usam aparelho auditivo e continuam com dificuldade em entender o que é falado no silêncio e/ou em ambientes ruidosos.

Respirador Oral

Você sabia que o tipo de respiração pode influênciar na audição?

O respirador oral é mais vulnerável à otites médias secretoras, causando flutuação da audição. Essa flutuação dificulta a formação de padrões acústicos, podendo resultar em desordens do processamento auditivo Central, distúrbio da audição caracterizado pela inabilidade de analisar e interpretar padrões sonoros. Essa alteração pode comprometer a atenção e a concentração, além de outras habilidades importantes para a aprendizagem escolar.

E não acaba por ai, a respiração oral pode causar alterações dentárias, fraqueza nos lábios, bochechas e língua, estruturas responsáveis pela fala e mastigação.

Qualquer obstrução da passagem de ar pelo nariz levava criança a respirar pela boca, entre as causas estão:

• Desvio de septo
• Presença de corpo estranho
• Rinites alérgicas
• Hipertonia de adenoide/ amígdala
• Sinusite
• Flacidez dos órgãos fonoarticulatórios

Consulte um OTORRINOLARINGOLOGISTA para descobrir e tratar a causa da obstrução nasal e procure um FONOAUDIÓLOGO para reabilitar as funções alteradas.

WhatsApp chat